pela região

Iniciados os testes operacionais da correia transportadora de carvão da UTE Pampa Sul

Neste primeiro momento, estão sendo realizados testes ainda sem carvão com medições e vistorias que avaliam o desempenho do equipamento

A Correia Transportadora de Carvão da UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski) iniciou nesta semana uma importante etapa: a fase de comissionamento operacional da estrutura. Neste primeiro momento, estão sendo realizados testes ainda sem carvão com medições e vistorias que avaliam o desempenho do equipamento, identificando possíveis falhas.

Em um segundo momento, a Correia será testada com uma quantidade mínima de 10.000 toneladas de carvão. Nesta etapa, serão analisados aspectos eletromecânicos do funcionamento da correia, além da logística do armazenamento de carvão, das emissões atmosféricas e dos ruídos, conforme a legislação vigente.

O gerente socioambiental da UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski), Hugo Roger Stamm, destaca que com o início dos testes, a Correia Transportadora de Carvão da Usina entra em sua fase final de implantação e, que quando os testes estiverem finalizados e houver a garantia do bom funcionamento da estrutura, ela estará apta a levar o carvão, matéria prima na produção de energia na UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski), desde a planta de beneficiamento do fornecedor Seival Sul Mineração S.A até o pátio de carvão localizado ao lado da Usina.

“Além de avaliar o desempenho da Correia Transportadora de Carvão, os testes visam também garantir a conservação do meio ambiente e preservação da qualidade de vida da comunidade do entorno da estrutura e, com esse objetivo, uma série de medidas foram adotadas desde a fase de projeto e durante toda a obra como, por exemplo, a escolha da tecnologia usada na correia que visa a redução de ruídos e poeira, já que trata-se de uma estrutura tubular fechada, e a implantação de uma cortina vegetal no entorno da estrutura com o plantio de, aproximadamente, duas mil mudas nativas, que auxiliarão também na diminuição de poeira e ruídos”, detalha Stamm.

Outra questão importante, principalmente para a comunidade do Seival, vizinha do empreendimento, é sobre um sistema de sirenes que é acionado toda vez que a Correia Transportadora de Carvão da UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski) entra em movimento.

“Esta iniciativa é fundamental para garantir a segurança de qualquer pessoa que possa estar no entorno da estrutura e servirá como um alerta para que a atenção seja redobrada. Durante a etapa de comissionamento, as sirenes serão mais frequentes, tendo em vista as necessidades dos testes, mas quando a Correia entrar em operação comercial, a sirene será utilizada de forma mais esporádica, já que a estrutura estará permanentemente operação. Antes da etapa de comissionamento, foi realizada a medição de decibéis da sirene visando garantir que o som emitido esteja de acordo com a legislação vigente”, explica Stamm.

Durante a etapa de testes, estarão sendo realizados também treinamentos para as equipes que farão a operação e manutenção da Correia quando a UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski) estiver produzindo energia. A expectativa é que, no início do segundo semestre de 2018, a Correia Transportadora de Carvão da UTE Pampa Sul (Miroel Wolowksi) esteja finalizada e pronta para operar. A estrutura da correia conta com 4,17 km de extensão e capacidade para transportar 550 toneladas de carvão por hora.

[wpdevart_facebook_comment curent_url="http://www.pinheiroonline.com.br/iniciados-os-testes-operacionais-da-correia-transportadora-de-carvao-da-ute-pampa-sul/" order_type="social" title_text="Comentários do Facebook" title_text_color="#000000" title_text_font_size="22" title_text_font_famely="monospace" title_text_position="left" width="100%" count_of_comments="2" ]