Pela Região

Empresa vai avaliar viabilidade de novos depósitos de carvão em Candiota

Projeto de mineração integra Programa de Parcerias de Investimentos

Projeto de mineração integra Programa de Parcerias de Investimentos

A Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) encerrou o processo de licitação para contratação da empresa que vai avaliar a viabilidade econômica de novos depósitos de carvão em Candiota. A análise, que deverá custar pouco mais de R$ 146 mil, atende a uma solicitação do Tribunal de Contas da União (TCU).
A avaliação integra uma etapa do projeto de mineração vinculado ao Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), lançado pelo governo federal, em 2016, estabelecendo parâmetros para a concessão ou venda de ativos nos setores de transportes, energia e saneamento básico em todo o País.
Os relatórios finais, referentes ao depósito de Candiota, que compreende 56 alvarás de pesquisa, já foram aprovados pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). O governo federal argumenta que o carvão tem seu principal uso destinado às termelétricas da região, reforçando que novas usinas estão em fase de licenciamento, mas aguarda indicações sobre outras possibilidades de utilização.
O leilão para a concessão das áreas estava previsto, inicialmente, para o primeiro semestre de 2017. Como o processo de seleção da empresa que fará a análise da viabilidade econômica atrasou, a expectativa, agora, é de que o certame ocorra até o final do primeiro semestre de 2018. A CPRM ainda deve abrir uma consulta pública antes da oferta.


Demanda

A CPRM contratou empresas para avaliar reservas de fosfato, nos estados de Pernambuco e Paraíba, reservas de cobre, em Bom Jardim, em Goiás, e reservas de zinco, em Palmeirópolis, no estado de Tocantins. No caso do projeto de carvão de Candiota, por se tratar de cinco depósitos com recursos geológicos com tonelagens distintas entre si, a companhia exige a apresentação de fluxos de caixa individualizados para cada depósito, considerando-se as características distintas que possibilitariam o desenvolvimento de empreendimentos mineiros locais e, ainda, o desenvolvimento de possíveis minas individuais.
A companhia também observa que a avaliação das reservas de Candiota deve atentar para a possibilidade do uso do carvão para a produção de energia termelétrica, fertilizantes, insumos para a indústria cimenteira e quaisquer outras utilizações possíveis, considerando-se as características do minério encontrado no município. A licitação organizada pela CPRM previa que seriam disponibilizados para a empresa contratada, a Saga Consultoria, o banco de dados completo dos serviços realizados nos depósitos minerais, incluindo um banco de dados de sondagem e geoquímica.

Informações Jornal Minuano

[wpdevart_facebook_comment curent_url="http://www.pinheiroonline.com.br/empresa-vai-avaliar-viabilidade-de-novos-depositos-de-carvao-em-candiota/" order_type="social" title_text="Comentários do Facebook" title_text_color="#000000" title_text_font_size="22" title_text_font_famely="monospace" title_text_position="left" width="100%" count_of_comments="2" ]