Pela Região

Candiota busca empresa para revitalização de trechos da MAC

O projeto contempla cinco pontos da estrada, apontados pelo governo como "intrafegáveis". 

Prefeito fiscaliza pontos que serão restaurados

A Prefeitura de Candiota está recebendo as propostas para a licitação que decidirá a empresa responsável pela obra de pavimentação asfáltica da rodovia Miguel Arlindo Câmara (MAC), principal via de interligação do município. O projeto contempla cinco pontos da estrada, apontados pelo governo como “intrafegáveis”.
O prefeito de Candiota, Adriano dos Santos, explica que os cofres municipais não teriam condições de aportar os custos para revitalizar a rodovia por completo. Entretanto, tendo em vista as más condições da via e considerando que a mesma foi eleita a segunda prioridade geral pela Gestão Participativa nos últimos dois anos (2017 e 2018), a prefeitura busca, num primeiro momento, atender os trechos mais urgentes. Para isso, serão investidos cerca de R$ 320 mil. “Neste momento, precisamos dar condições de trafegabilidade aos trechos críticos da estrada, atendendo, também, a demanda da Gestão Participativa, na qual a MAC é a segunda prioridade geral eleita no município”, destaca o prefeito.
As empresas interessadas em participar da licitação devem entregar a documentação necessária no prédio da Secretaria de Finanças, localizado em sua sede, na rua Ulisses Guimarães, nº 250. A abertura dos envelopes contendo o “Conjunto Proposta” está prevista para ser iniciada às 10h do dia 22 de agosto. O vencedor do processo licitatório deve fornecer materiais, equipamentos e mão de obra, conforme listado no memorial descritivo e planilha orçamentária do edital. O edital e mais informações podem ser obtidos no site www.candiota.rs.gov.br  ou pelo telefone (53) 3245-7299.

Federalização
Construída pela Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), em 1973, a via fazia parte das obras da Fase B da Usina de Candiota. Atualmente, o trajeto de aproximadamente 15 quilômetros está sem titularidade definida, em virtude da usina ter sido repassada à União, em 1997. O projeto de federalização da rodovia tramita na Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados e a matéria deve retornar à pauta neste mês. A definição de domínio federal se justifica porque a rodovia liga a BR-293 à Usina Termelétrica (UTE) Presidente Médici, hoje administrada pela Companhia de Geração Térmica de Energia Elétrica (CGTEE).
A federalização da MAC só pode ser viabilizada através de uma alteração no Plano Nacional de Viação, criado por lei específica, que foi modificada pelo governo federal, em 2011.
O chefe do Executivo conta que em cerca de 45 anos, o trajeto jamais recebeu reformas consideráveis, a não ser através de uma parceria com a Engie Brasil, em 2016, onde foi possível refazer três pontos que estavam com problemas.
O prefeito salienta que o município continua em busca da federalização do trecho, vendo que o auxílio da União será bem-vindo à Capital Nacional do Carvão, que não tem recursos para manter a via sozinha. Ele também declara que mesmo com a federalização em andamento, o governo municipal continuará fazendo o possível para revitalizar a rodovia. E adianta que mais de R$ 200 mil serão destinados para reformas no trecho em 2019.

Informações Jornal Minuano

[wpdevart_facebook_comment curent_url="http://www.pinheiroonline.com.br/6919-2/" order_type="social" title_text="Comentários do Facebook" title_text_color="#000000" title_text_font_size="22" title_text_font_famely="monospace" title_text_position="left" width="100%" count_of_comments="2" ]